Subcoleções ou subcategorias

Olá! Gostaria de saber se é possível criar subcoleções? Ou algo parecido.
Tenho items que pertencem a coleção 1 dentro dela gostaria de criar uma outra coleção 1.1, 1.2, 1.3 com metadados diferentes e adicionais para cada subcoleção?
Alguém já teve essa mesma dúvida?

Eu encontrei o campo composto, mas não é o ideal, seguindo a documentação. e também não me atende.

Um exemplo: Selecionar o item 1 e ao carregar o item 1, ele carrega seus próprios metadados.
tainacan-items

Desde já, Muito obrigado.

Olá @jefdoria, tudo bem?

Pode nos detalhar melhor o que você espera deste conceito? Dependendo do que vocês está buscando, pode-se atingir com metadados nível repositório ou usando taxonomias hierarquizadas, com termos filhos. Mas tudo depende muito da modelagem, acho que precisamos de mais detalhes pra pensar em algo.

1 Like

Olá.
Estou com esta mesma questão. Um acervo que originalmente está organizado em coleções que tem, cada uma, as suas séries e subseries, como pastas dentro de outras pastas. Haveria uma forma do Tainacan recriar esta lógica?

Tentei por hierarquia de taxonomia, mas não obtive muito sucesso - nao tenho experiência no Tainacan ainda -, não consegui visualizar uma forma correta de fazer isto.

Alguém teria uma dica ou passo-a-passo?
Obrigado desde já.

Olá @gugabm, tudo bem?

É possível que este conceito possa ou não ser atendido pelas taxonomias, acho que depende bastante caso a caso por isso vale ver o que significa o “estar dentro de outra pastas”. Na minha cabeça, a maneira como eu vejo isso é:

  • Um item pertence a uma coleção se ele é descrito pelos metadados desta coleção.
  • Dentre os metadados da coleção, pode haver um que organize os itens no conceito da pasta ou série que você diz. Vamos supor que você crie uma Taxonomia com os seguintes termos:
    • Série A
    • Série B
      • Série B.1
      • Série B.2
    • Série C
      Seus itens então, terão um metadado Taxonomia chamado “Série”, onde você marcará a qual série ele pertence, podendo este valor ser: "Série B" > "Série B.1".
  • Mesmo estando em uma mesma coleção, você poderá ver apenas os itens pertencentes à subsérie B.1 por dois caminhos:
    • No lado administrativo e no lado público, na lista de itens da coleção, através dos filtros e da busca avançada;
    • No lado público, através da lista de itens do termo “Série B.1”. Esta página existe pra todo termo criado em uma taxonomia, e mostra uma versão prefiltrada da lista de itens, com direito a um cabeçalho com imagem e descrição do termo. Falamos mais sobre isto neste link da Wiki.

Um caso que pode não estar previsto aí é o de itens de subséries serem descritos por metadados diferentes (além de alguns em comum). Se suas subséries descem apenas um nível da hierarquia, isto pode ser resolvido usando os metadados nível repositório e realmente deixando os itens em coleções separadas. Caso contrário, o caminho é manter todo mundo em uma mesma coleção mas dentro dela haver metadados que são usados por itens de certa subsérie e não por outras. Desde que estes metadados não sejam obrigatórios, não deve ser problema os itens terem alguns metadados vazios. Do ponto de vista da organização, isto pode sim ficar complexo. Para isso esperamos que o recurso de “Seção de Metadados” que vai sair na versão 0.19 ajude a organizar melhor os metadados neste cenário.

Queria marcar aqui o @LuisRosa e @andre_benedito que já trabalharam bastante com a modelagem de alguns acervos caso tenham algo a acrescentar.

Boa tarde, @mateus.m.luna.
Muito obrigado pela sua postagem. Apenas hoje pude retornar sobre esta questão, então desculpe-me a demora em te responder.

De fato, no acervo em questão - (atualmente organizado e disponibilizado em pastas no Google Drive) as coleções estão organizadas internamente em SÉRIES que contém SUB-SÉRIES e estas por sua vez podem conter ainda subdivisões (no caso abaixo, os DOSSIÊS).

Os itens documentais propriamente (fotos, textos, vídeos etc.) estão alocados dentro destes ‘níveis’, por assim dizer.

Por exemplo:

COLEÇÃO MSEP:

O que buscamos é obter ao final uma lógica de navegação na coleção que reproduza esta hierarquia descrita acima.

Tranquilo!

Então cara, pelo que estou vendo eu fico com o forte pressentimento de que as taxonomias resolvem o que você quer do ponto de vista da estrutura dos dados. A navegação, por um lado, entendo que não fica muito ideal.

Além das alternativas que mencionei acima, temos um Bloco Gutenberg, o bloco de Facetas, que permite ver a árvore dos termos de taxonomia. Veja no segundo vídeo desta postagem. Estes links no caso levam para a tal lista de itens no termo. O ideal, seria termos uma listagem no tema, assim como temos a de coleção. Pra isso temos uma issue aberta, estamos devendo ela faz um tempo:

1 Like